terça-feira, 10 de julho de 2012

VP 2.0

Em ano de Europeu e consequente Jogos Olímpicos, que ainda por cima envolvem directamente jogadores do FC Porto, a pré-época começa toda ela uma salgalhada. Juntando a isto uma Equipa B, indecisões sobre entradas e, sobretudo, saídas, confesso que para mim, é complicado, vislumbrar, para já, o que esperar deste Porto, versão VP 2.0.

Na baliza a minha dúvida está em Fabiano. Sabendo que Hélton tem o lugar seguro, sobretudo porque esteve em grande nas duas últimas épocas, acho que o jovem brasileiro é o futuro dono da baliza, ma para isso terá de jogar. Não me parece que a equipa B seja solução para ele, e como, ao que parece, é proibido emprestar jogadores a clubes da primeira liga, não sei o que vão fazer ao rapaz.

Nas laterais existem dúvidas: Sapunaru e Álvaro Pereira, ficam ou vão? Miguel Lopes? Danilo e Alec Sandro chegam em que condições e em que altura ao plantel? Os Emídeos e os Addys não são importantes para as contas sérias.

No centro da defesa existe a dúvida Rolando, vai, fica? O Abdulaye chega a que horas e como? Os jovenzitos que por lá andam como são?

No meio-campo tudo se resume a Moutinho. Fica, vai? Indo temos um problema sério, porque Lucho tem mais um ano, Defour é um bom jogador mas não me parece ser solução sólida, Fernando continua sem concorrência, Castro não se sabe se fica, Belluschi é um desperdício "à la VP" e não me recordo de mais nenhum nome de peso para ser opção.

No ataque todo o assunto Hulk vai defenir as alas. Se fica é uma coisa, se for embora abre espaço para novas soluções. James e Varela aparecem como os nomes mais sonantes, mas Iturbe, Djalma e Atsu são nomes que têm de aparecer em força. Sei que se calhar o angolano não cai no goto de muitos mas eu gosto e Atsu pode vir a ser um vendaval. Quanto a argentino ou é agora ou nunca.

Na frente, Kléber é querido pelo treinador (e por mim) mas vem com o saldo negativo aos olhos dos adeptos e com pouca margem de manobra. Depois há duas torres: Janko e Jackson. O loiro não convenceu, o colombiano vem como craque. Uma coisa é certa, não há espaço para os dois, a não ser que VP tenha estudado durante as férias um 4-4-2.

Esperemos para ver, de qualquer maneira, reitero que o defeso e a pré-época, deixaram de ser para mim, motivo de interesse, com o mercado aberto até tão tarde e colossos com Sheiks e magnatas russos em certos clubes, ninguém está a salvo de saídas importantes no último dia, o que troca as voltas a qualquer preparação.


Dito isto, apesar de todas estas dúvidas, o grande desafio do Porto está no treinador, que lições aprendeu, que postura terá à frente da equipa, um VP que foi campeão quando já ninguém dava nada por ele?

2 comentários:

  1. Vamos ver o que o futuro nos trás

    Para já, estou preocupado com a manutenção de elementos que vão ser problemáticos, se ficarem... Álvaro Pereira e Rolando.

    Acho importante o Porto ganhar uns milhões e livrarem-se deste problema, que pode virar um problema de balneário séria, ainda por cima sabendo da incapacidade de Vitor Pereira controlar o balneário com um pulso forte.

    ResponderEliminar
  2. Olá!

    Podemos fazer uma troca de links entre blogues por favor?

    O meu é: http://davidjosepereira.blogspot.pt/

    Muito Obrigado!

    Depois passem pelo meu a confirmar a troca,
    para eu também adicionar o vosso blogue aos meus links.

    ResponderEliminar