segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Vai ser uma época longa

Foi muito tempo sem ver jogar o FC Porto. Em maio estávamos a celebrar um campeonato com as camisolas de 2011/2012 (talvez as mais bonitas do consulado da Nike, que já criou demasiadas aberrações), Alvaro Pereira era o lateral esquerdo, Janko o ponta de lança, e a equipa jogava mau futebol. Três rápidos meses volvidos, e eis que tudo mudou: as camisolas de 2012/2013 têm azul a menos e publicidades a mais, temos mais um central adaptado a lateral esquerdo, Jackson Martínez voou do México para ser o nosso 9, e continuamos a jogar mau futebol.

É exasperante verificar que à medida que o tempo passa a tendência não é, de todo, para melhorar: cada vez temos um futebol mais previsível, displicente e lento - e obviamente, inofensivo na frente, como corolário das restantes características. E os problemas vão-se agudizando, com uma equipa que no ataque parece completamente dependente de um jogador que não está aqui de corpo e alma, Hulk, com a agravante que este Hulk parece de novo "em bruto", tomando consistentemente as opções erradas e desperdiçando assim as suas imensas qualidades. Se a isto somarmos uma incapacidade gritante e um desinteresse generalizado no resto da equipa, fica explicado o desperdício de dois pontos preciosos ao empatar 0-0 com um Gil Vicente fraquíssimo.

Ó James, antes de jogar contra o Daniel Alves, é preciso
ganhar frente aos Peixotos desta vida
Aliás o desperdício é definitivamente a palavra-chave para compreender os tempos atuais no FC Porto. Para jogar assim, ter Jackson Martínez é um desperdício, como antes já o killer instinct de Janko foi desperdiçado - as bolas nunca chegam ao ponta de lança em condições de este fazer estragos; temo que a irrequietude e motivação atuais de Martínez também desapareçam rapidamente no marasmo dos aborrecidos. Ter no plantel jogadores de altíssimo nível (e salário exorbitante) como Lucho, Hulk, James, Danilo, Alex, Rolando, Varela ou Belluschi (só para citar alguns mas aplica-se a muitos outros) é um total desperdício se for para jogar sempre na mesma camisa-de-forças mecânica por 80 minutos e bombear bolas para a área nos últimos dez. Estes jogadores e este plantel poderiam formar uma grande equipa de futebol – e relembre-se que já o provaram em 2010/2011. Se isso não acontece hoje em dia, é preciso voltar a falar do "elephant in the room" e colocar a pergunta óbvia: porquê??

Sejamos claros: continuamos a ir por um mau caminho, e a necessidade obsessiva que a direção tem em provar a sua, deles, infalibilidade só o ajuda a prolongar. O ano passado salvámos a época vencendo um campeonato onde fomos os melhorzinhos, mas não podemos contar sempre com os repetidos tiros nos pés dos adversários, nem muito menos, quando não jogámos o suficiente para ganhar, devemos barafustar pela ausência do penaltizito salvador. Isso não é vida para ninguém, muito menos para o FC Porto.

4 comentários:

  1. Boa noite,

    Ontem o FC Porto merecia vencer a partida apesar de termos feito um jogo fraquinho.
    O Gil Vicente limitou-se a defender e a fazer anti-jogo perante a permissividade do árbitro.

    Podemos nos queixar de duas grandes penalidades, mas devemos queixar-nos também de nós próprios.
    A equipa entrou muito lenta na saída e construção de jogo. O tridente ofensivo muito apático, sem capacidade de alvejar a baliza de Adriano, o melhor jogador em campo.

    Os nossos médios tem de circular mais a bola e correr menos com ela.
    Tem de haver mais dinâmica no tridente ofensivo, e de uma vez por todas definir a posição de James.

    Na minha opinião poderíamos jogar em 4*1*3*2.
    Fernando na cabeça de área, Lucho e Moutinho lado a lado, James a 10 nas costas de Hulk e Jackson Martinez, e os defesas/alas esquerdo e direito Alex Sandro e Danilo mais afoitos nas subidas no corredor, com Fernando nas movimentações ofensivas a ficar num tridente defensivo com os dois centrais.

    Estamos no início da época, e ainda há muitas arestas a limar.

    Merecíamos ainda assim a vitória, pois fomos a única equipa que a procurou.

    Uma palavra de apreço para os milhares de portistas que foram apoiar a nossa equipa.

    Nota final para James, que deve pensar mais no Porto do que no salto para outro campeonato. Se este for o caminho por si escolhido não irá longe na sua carreira. Há que ser profissional. Iturbe padece da mesma maleita e rompe banco.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. @ zero

    eis um cimbalino pertinente, a pedir (mais do que) um traçadinho para acompanhar.

    se, por um lado, acompanho-te nas tuas críticas às qualidades que o actual treinador não demonstra, por outro não posso deixar de reafirmar que este foi só o primeiro jogo - num terreno que, se quisermos ser optimistas, conquistámos um ponto onde se perderam três na época passada.
    penso que será de todo improvável que haja uma mudança em quem gere o banco de suplentes nos tempos mais próximos - pelo menos até finda a fase de grupos da Champions, onde teremos que fazer bem melhor do que no ano passado («crise económica» oblige).

    portanto e no meu entendimento, há que (in)tentar manter a calma e apoiar o nosso clube de forma incondicional. tal pressupõe que se esqueçam os assobios seja a quem for já no próximo final-de-semana, no Dragão. o contrário será dar mais um trunfo a um adversário que já está empolgado por ter empatado o Zbording e que já julga ser capaz derrotar o FC Porto em pleno Dragão...

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi o 1º da época, foi o 2º... depois foi o 2º da segunda época de VP em que nada mudou a nível de jogadores.

      Portanto, deviam estar a jogar futebol e não ao apanha.

      VP é ridículo a todos os níveis e está a acabar com muitos jogadores de qualidade.

      Eliminar
    2. o primeiro jogo para o campeonato, queria eu escrever ;)

      ps:
      essa do «apanha» está porreira, sim senhor

      Eliminar